arquivo

Cursos

Desde o segundo semestre de 2010 voltei às salas de aula para fazer MBA em Gestão Estratégica de Marketing, curso que já está bem dentro da área que eu atuo e que sempre tive uma uma certa simpatia, principalmente pelas longas horas ouvindo dona Adriana Torres falando e falando apaixonadamente sobre.

Naquelas apresentações chatinhas em que você fala para a turma quem é você, em quê você trabalha, alguns professores olhavam-me com cara de interrogação e eu tinha que gastar uns 5 minutos explicando o que era o meu trabalho com mídias digitais.

Imaginem: você faz um MBA em Marketing. A maioria dos seus professores tem uma formação em marketing, trabalha dando consultorias em marketing, se gaba de terem apresentado artigos premiadíssimos, mas desconhece marketing digital e SEM. Posso estar errada, mas acho que eles (não todos, claro que há ressalvas) estão ultrapassados ou que, no alto de sua arrogância, desprezam o SEM.

E esta impressão se extende também a alguns colegas, que desconhecem marketing digital (para piorar, alguns sequer ouviram falar de Kotler, mix de marketing, etc, etc….). E isso me preocupa. Tanto pela qualidade do ensino nas instituições quanto pelos futuros profissionais de marketing que vão atuar no mercado.

Não estou querendo dizer também que todos têm que tem que entrar pensando só em SEM. Mas hoje é impensável fazer uma campanha que não o envolva. Os consumidores estão cada vez mais conectados (sim, esta afirmação é muito óbvia), e os prospects mais ainda. Não sou radical a ponto de matar TV’s e jornais, mas acredito que a importância das mídias digitais tende a crescer exponencialmente.

No dia a dia da agência, vejo que é difícil emplacar algumas campanhas porque alguns empresários veem o marketing como despesa, não como investimento. Imagine então, quanta “despesa” geraria campanhas que envolvam mídias sociais e otimização? Os setores de marketing enfrentam desafios porque a verba é sempre pouca, e não raras vezes marketing  é confundido com comunicação e publicidade.

Tá tudo errado, então?

Não está tudo errado. Mas acho que muita coisa tem que mudar. E a primeira mudança, necessária, é dentro das academias (se você achou que é de ginástica, por favor, retire-se do blog). É ali dentro que estamos formando os futuros gestores de marketing, as pessoas que vão tomar as decisões e serem decisivos nas mudanças.

Os cursos de marketing precisam se reformular, os professores precisam se reciclar e os alunos tem que conhecer melhor o novo marketing. Vejo algumas iniciativas na área, como cursos voltados para o marketing digital, como o MBA em Mídias Sociais e Gestão da Comunicação Digital e a Pós-graduação em Publicidade 360º da Una e a pós em Marketing Digital do Uni-BH.  Espero que em ambas dediquem em suas grades disciplinas que abordem o SEM e que os tradicionais cursos de graduação e MBA’s em marketing e outras disciplinas relacionadas também reformulem suas grades e insiram o tema em suas aulas.

Formei em Jornalismo há dois anos e meio atrás, e qual não foi meu susto quando percebi que mais da metade do que eu havia estudado já estava ultrapassado. É difícil para as instituições de ensino manterem-se sempre atualizadas? Sim. Imagino que seja um desafio imenso. Mas do jeito que está, não pode ficar.

E vocês, o que acham?

Anúncios